Entrevista ao Diário do Comércio – BH: Pouco volátil, ouro continua atrativo

Clique na imagem para visualizar a...

leia mais

Entrevista ao Mercado do Campo

Entrevista concedida ao programa Mercado do Campo na TV Brasil na sede da Bolsa de Valores de São Paulo, em que falo sobre investimentos no exterior: http://www.sba1.com/noticias/Brasileiros-estao-investindo-mais-no-mercado-de-capitais-no-exterior        

leia mais

Comentários no Estadão sobre Bitcoin

A Bitcoin se valorizou 1.800% este ano. Mas, e os riscos?...

leia mais

Entrevista ao Cenário Econômico

Entrevista concedida ao programa Cenário Econômico na TV Brasil na sede da Bolsa de Valores de São Paulo, em que falo sobre a bolha generalizada nos ativos mundiais: http://www.info4.com.br/ver/exibir.html?Yw=MTU3OQ&YQ=MTU3OQ&bQ=MTY2Mzc1NA&bA=MTY2Mzc1NA&b3JpZ2Vt=cGNvbnRybw&bm9tZQ=KEF1dG8pIFRWIE5vdO1jaWFz 

leia mais

DCI: Problema na oferta ganha contribuição da crise no Zimbábue, mas oportunidades existem

O preço da platina no mundo vem caindo sistematicamente há mais de um ano. Logo em um período que tem sido tão bom para as commodities metálicas. Em vez de vermos isso como um problema, estamos enxergando uma oportunidade. De acordo com o relatório recente da World Platinum Investment Council, haverá um déficit na produção de platina nos próximos 4 anos, após os registrados nos últimos dois anos, de cerca de 250 mil onças (aproximadamente 7.800 quilos) anuais. O cenário traz elementos essenciais para a formação de preços mais altos dessa commodity no longo prazo. Esse é um mercado com boas oportunidades e cuja relação risco x retorno se mostra interessante. O maior produtor do metal no mundo é a África do Sul. O país é responsável por cerca de 77% da produção global, seguido pela Rússia, com 12%, Canadá e Zimbábue. Assim, a África do Sul é hoje o maior responsável pelos desenvolvimentos no mercado de platina do mundo – é a nação que decide se haverá falta ou abundância. Tendo dito isso, a África do Sul ganha destaque pelas greves nas minas e pelos planos de expansão na produção que não evoluíram nos últimos 10 anos. Agregados a essa realidade, estão minas em depletion, problemas trabalhistas, falta de água (recurso muito importante nessa indústria) e energia. O impacto deve chegar no preço do metal, mais cedo ou mais tarde. Segundo documento da World Platinum, ainda que a moeda sul-africana, o Rand, continue depreciando, a cotação deve subir. O vizinho Zimbábue poderia aumentar sua produção de platina, mas o cenário político inspira cautela e mostra-se improvável que algum investidor ou empresa se disponha a investir lá enquanto essa situação se mantiver. Grande parte da platina minerada é usada como catalisador para motores diesel, mas não é só isso. O metal ainda é precioso, assim como o ouro, e um dos mais caros do mundo. Existem vários especialistas que apontam para a grande alta do ouro nos próximos anos – podemos esperar ainda mais para a platina. Há anos o preço dessa commodity ficava atrás apenas do ródio, ambos devido à escassez. No entanto, hoje a platina já é cerca de 25% mais barata que o ouro. Para investidores em metais preciosos, o metal pode se mostrar uma excelente alternativa....

leia mais

Entrevista à rádio CBN-Brasil

http://m.cbn.globoradio.globo.com/editorias/economia/2017/11/13/GIGANTE-DOS-ALIMENTOS-MANIPULA-CONTABILIDADE-PARA-MELHORAR-DESEMPENHO-FINANCEIRO.htm

leia mais